content="muuki1ubrcnggkf8bex0b65sb0sjon" />s0svoorc04u2yx8nge9uqmoy5" />
 
Buscar
  • Instituto Gallassini

Tudo que você precisa saber sobre Jejum Intermitente



O que é o Jejum Intermitente?


O Jejum intermitente tem ganhado cada vez mais fama entre quem busca melhorar a saúde e gerenciar o peso, conquistando inúmeros adeptos todos os dias.

O J.I. nada mais é que um método que visa intercalar períodos de jejum com períodos de alimentação, com o objetivo de utilizar os estoques de gordura do corpo e, assim, ocasionar a perda de massa gorda.

As janelas de alimentação são os períodos em que é permitido se alimentar e, fora dessas janelas, fica permitida a ingestão apenas de água, chás e café sem açúcar.


Quais os benefícios do jejum intermitente?

Antes de tudo, devo avisar que o jejum não deve ser feito sem orientação médica, pois pode causar fraqueza, hipoglicemia e desencadear transtornos alimentares. Dito isso, vamos conhecer alguns benefícios de realizar o J.I.:

  • Mais praticidade no dia a dia, visto que tem menos refeições com as quais se preocupar;

  • Ao comer menos, você pode ingerir menos calorias e, consequentemente, perder peso;

  • O Jejum auxilia na redução dos níveis de glicose no sangue, facilitando a queima de gordura a contribuindo para a prevenção e manutenção da diabetes;

  • Durante o período de jejum, o hormônio do crescimento tem a sua secreção aumentada, contribuindo com o ganho de massa muscular;

  • O jejum favorece a reparação celular, ajudando na prevenção de doenças como o câncer;

  • Estimula o melhor funcionamento dos neurônios a curto e longo prazo, prevenindo inclusive o Alzheimer.


Como fazer o jejum intermitente?

O Jejum intermitente consiste em realizar períodos de restrição de alimentos com janelas alimentares e pode ser realizado de várias formas. Para começar, o ideal é fazer o J.I. uma vez na semana, pelo período máximo de 15 horas, e ir aumentando de forma gradual enquanto se adapta ao método. Confira outras possibilidades:

  • Jejum de 16h, que consiste em ficar entre 14 e 16 horas sem comer, incluindo o período do sono, e comer nas 8 horas restantes do dia. Por exemplo, jantar às 9 da noite, e voltar a comer às 13h do dia seguinte.

  • Jejum de 24h, é feito por um dia inteiro, por 2 ou 3 vezes por semana, no máximo.

  • Jejum de 36 horas, que consiste em ficar 1 dia inteiro e mais metade do outro dia sem comer. Jejuns prolongados, como esse, devem ser feitos por pessoas que já estão habituadas ou com acompanhamento médico.

  • Comer 5 dias e reduzir 2 dias, que significa comer por 5 dias da semana normalmente, e em 2 dias reduzir a quantidade de calorias para cerca de 500.

O que comer depois do Jejum Intermitente?


Para a primeira refeição pós jejum, indica-se comer alimentos de fácil digestão e de baixo índice glicêmico e evitar o excesso de gorduras ou açúcares. Confira alguns Alimentos aconselhados:

  • Cogumelos;

  • Ovos;

  • Batata doce;

  • Abobrinha;

  • Quinoa;

  • Peito de frango;

  • Sardinha ou atum enlatado;

  • Brócolis;

  • Espinafre;

  • Tomate;

  • Repolho;

  • Couve-flor;

  • Saladas e legumes;

  • Sopa de ossos.

Algumas frutas que podem também ser consumidas com a refeição são maçã, morango, framboesa e mirtilo. Além disso, quanto mais tempo sem comer, menor deve ser a quantidade de comida na primeira refeição pós jejum.


Quer saber se o Jejum Intermitente é uma estratégia apropriada para o seu metabolismo e os seus objetivos? Converse com o seu médico ou agende uma consulta com o Dr. Rafael Gallassini e conheça estratégias personalizadas para emagrecimento, saúde e performance.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo